Amsterdam

Quando se fala em Amsterdam três palavras vem rapidamente em sua mente, que são elas: bicicletas, canais e coffeeshops. Isso por que Amsterdam é uma cidade que tem milhares de bicicletas, centenas de canais, e dezenas de coffeeshops. Todo esse conjunto são as principais atrações da capital holandesa.

Também chamada de Veneza do Norte Amsterdam possuí 1500 pontes, por volta de 100 quilômetros em canais e ao redor de 880 mil bicicletas (80 mil unidades a mais do que a população da capital). Sendo assim, o meio de transporte público mais utilizado é a bicicleta, seguido pelos "trams" que rodeiam a cidade.

As praça mais central da cidade e aonde fica o palácio real é a Dam Square. Seguida delas tem a Rembrandtplein (estátua do pintor Rembrandt) e a Leidseplein. Tirando o Red Light District, essas duas praças são pontos agitados durante a vida noturna.

Amsterdam é conhecida como a capital da Maconha. Ela é a única cidade do mundo em que o consumo e a venda da maconha são totalmente legalizados. Isso é um dos motivos que durante o ano inteiro a cidade atraí milhares de turistas para desfrutar das plantinhas, cookies, balas, brownies  e etc de maconha e ficar "relaxado" a beira dos canais. Em todas as lojas de souvenir da para comprar acessórios e doces de maconha, mas somente em Coffeeshops que é aonde você vai encontrar definitivamente a cannabis. Amsterdam é repleta de Coffeeshops, mas o mas o mais famoso é o The Bulldog, um complexo que hoje possui hotel, loja de roupas e obviamente coffeeshops espalhados pela cidade.

Além da descriminalização da Maconha, Amsterdam também é conhecida pela legalização da prostituição. O Red Light District ou De Wallen é um bairro conhecido pelas mulheres que ficam em vitrines convidando pessoas para entrar nas cabines, sex shops, cabarés, shows pornográficos ao vivo etc. Durante o dia essa área é uma região qualquer, mas de noite as luzes vermelhas se acendem e o lugar lota de turistas curiosos. É estritamente proibido tirar foto das vitrines aonde ficam as prostitutas. O Red Light Secrets é um museu bem interessante que conta a história da prostituição no Red Light District e de como se tornou um trabalho respeitado no país. A prostituição foi legalizada em 2000 e por mais que as prostitutas são auto-empregadas,  elas geralmente trabalhavam por volta de 10 horas por dia. Para alugar uma janela no De Wallen custa por volta de 150 euros por turno (10 horas). 

A Heineken Experience é um museu interativo e divertido sobre a história da cerveja holandesa fundada em 1864. Depois de 3 anos de funcionamneto da empresa o fundador Gerard Adriaan Heinkein construíu a grande fábrica em que hoje fica esse museu. Hoje em dia a cerveja Heineken é uma das mais vendidas do mundo e é a patrocinadora oficial das: Olimpíadas de verão, Liga dos campeões da UEFA, Copa Libertadores da América e da Fórmula 1 . Por mais que de para comprar ingresso na hora, eu recomendo comprar ingressos antes para não ficar na fila e escolher o horário de sua visita.

Outro marco histórico de Amsterdam é a casa de Anne Frank. O diário de Anne Frank foi uma das obras mais debatidas e comoventes do século XX. Ela escreveu esse diário durante os dois anos em que a família passou escondida em uma casa de amigos cristãos em Amsterdam durante o governo nazista. Depois de ser descoberta pela Gestapo em 1944, todos em sua família foram assassinados em campos de concentração, inclusive Anne Frank. O único sobrevivente da família foi o pai da menina que achou seu diário e o publicou em 1947. Hoje em dia, a casa em que Anne Frank ficou escondida está aberta para visitas mas seu ingresso precisa ser comprado com no mínimo 3 meses de antecedência. Lá dentro é proibido tirar fotos.

Museumplein é uma região de Amsterdam aonde fica 3 grandes museus: Rijksmuseum (artes e histórias de Amsterdam), Van Gogh Museuk e o Stedelijk Museum (arte moderna e contemporânea). Também tem museus menores como é o caso do Moco museum, que atraí turistas para a exposição de Bansky e outros artistas. Todos os museus tem que pagar, mas existe a opção de comprar passes para ir em todos ou apenas alguns. Na maioria das vezes é necessário comprar o Van Gogh museum antes.

Ao lado da Museumplein fica o Voldenpark, um parque público bem agradável de passear de bicicleta. Perto dessa região também fica o Foodhallen, uma praça de alimentação com diversas opções de comida.

Bloemenmarkt é um mercado de flores a beira de um dos canais de Amsterdam. Ele fica aberto todo dia das 9:00-17:30, menos de Domingo que abre as 11:00. Lá obviamente tem várias floriculturas e um monte de lojas de souvenirs também. 

Alem da cidade já ser um paraíso arquitetonicamente, alguns lugares interessantes para observar são: De Gooyer (maior moinho da Holanda com 26,5m de altura), Oude Kerk (Igreja do século XIII), Munt Tower (torre do século XVII com estilo renascentista) e a Estação central de Amsterdam.

Gostaram? Dúvidas? Deixem seus comentários aqui.                                                     Acompanhem mais fotos no instagram do Tripglobe!!!