Jerusalém

Jerusalém é a capital religiosa de Israel e é considerada a cidade mais histórica do mundo. Por conta de já ter sido conquistada dezenas de vezes por diferentes povos e impérios, Jerusalém possuí centenas de monumentos e lugares sagrados para as maiores religiões ocidentais (Judaísmo, Cristianismo e Islamismo). Aqui vai algumas dicas do que fazer na cidade sagrada:

    Cidade Velha: A cidade velha de Jerusalém é um dos lugares mais antigos do mundo. Hoje em dia a cidade murada é dividida em 4 bairros: Judaico, Muçulmano, Cristão e Armênio. Em cada bairro existe pontos sagrados e significativos para cada povo que atraí milhares de pessoas de diferentes religiões do mundo inteiro. Para quem se hospeda perto do shopping Mamilla, o portão de Jaffa é o mais ideal para entrar na Cidade Velha. Logo depois desse portão fica a Torre de David e o Shuk arábe.

    O legal da cidade velha é conhecer pelo menos um pouco dos 4 bairros que têm e observar a peculiaridade de cada uma das religiões.

    Bairro Judaico

    • A Torre de David é uma antiga fortaleza construída para proteger a cidade velha nos tempos antes de Cristo. Hoje em dia é um museu que conta toda a história de Jerusalém. Outra atração turística interessante é o show de luzes a noite ao redor das paredes dentro da torre. Neste show eu já estive 3 vezes e recomendo a visita para a família inteira. Para comprar os ingressos sugiro pelo menos 2 horas de antecedência.
    • O Kotel Hamaravi ou Muro das Lamentações é a única parte que restou da muralha que cercava o antigo templo sagrado judaico. Hoje em dia é um lugar onde anualmente milhões de judeus vão para rezar, pedir e escrever papeizinhos para Deus. Além de conhecer o muro por fora, existe também a opção de conhece-lo por dentro através de suas escavações.

    Bairro Árabe

    • Shuk Árabe: O shuk é um mercado localizado no centro da cidade velha e que também a cruza inteira. Este mercado não é de comida, mas sim de souvenirs, roupas, temperos, colares, pulseiras etc. Na minha opinião o Shuk árabe da cidade velha de Jerusalém é o melhor mercado de souvenirs de toda Israel. Lá além de encontrar coisas só da capital  também têm lembrancinhas de todo o país.

    Bairro Armênio

    • Tumba do Rei David: Ele foi o primeiro rei da terra de Israel há mais de 2000 anos atrás.

    Bairro Cristão

    • Igreja de Santo Sepulcro: Igreja mais famosa e sagrada para o cristianismo. De acordo com a religião foi lá que Jesus foi crucificado, sepultado e no terceiro dia ressuscitado.

    Ben Yehuda: Um calçadão onde tem várias lojinhas de bijuterias e souvenirs. Nas ruas paralelas e na Ben Yehuda têm vários restaurantes agradáveis e deliciosos.

    Um fato interessante de Israel: Apesar de ser um país judaico, além de judeus vive muitos árabes e estrangeiros de fora do país. Por conta disso todas as placas em parques nacionais, hotéis, rodovias e nas cidades estão em 3 línguas: Hebraico, Árabe e Inglês. Um exemplo é a placa da Ben Yehuda.

    Shopping Mamilla: O Mamilla é um shopping aberto e o mais refinado de toda Israel. O nome também coincide com o Hotel Mamilla que fica em cima do shopping. O lugar é super bem localizado e no final dele dá para sair no portão Jaffa (Yaffo) da cidade velha. Lá também têm alguns restaurantes que sugiro  jantar ou almoçar lá um dia e depois passear no shopping.

    Har Hertzl: O Monte Hertzl é um cemitério judaico localizado nos limites de Jerusalém. Lá está enterrado uma das pessoas mais importantes para o movimento sionista do século XIV-XX, Theodor Herzl. Além disso, está enterrado no cemitério antigos presidentes e figuras importantes do estado de Israel, como: Shimon Perez, Itzhak Rabin e Golda Meir. Há também uma parte para soldados que faleceram em guerras lutando por Israel e o museu do Hertzl.

    Yad Vashem: De dentro do Monte Herzl há uma passagem para o Yad Vashem, o Museu Nacional do Holocausto. O museu é de graça e não recomendo ir com crianças pequenas, pois é um lugar sério onde não pode fazer muito barulho. Sugiro fazer o museu com algum guia da instituição e tirar no mínimo 3 horas de seu dia para a visita. A arquitetura do museu é bem diferente, onde começa baixo e estreito e acaba alto e aberto com a vista de Jerusalém (símbolo que os judeus tiveram esperança e conseguiram fundaram seu estado). Dentro do museu é proibido tirar fotos por que a maioria dos objetos que estão lá dentro são originais.

    Museu de Israel: O Museu de Israel ou também chamado de Heihal HaSefer (Santuário do Livro) é o lugar onde é mantida as encontradas escrituras do Mar Morto durante o século XX. Lá também tem o famoso monumento que está escrito AHAVA (amor) e a 1ª maquete de Jerusalém do século II.

    Jerusalém é uma cidade que existe vários miradores. O mais conhecido é o Monte das Oliveiras, um dos cemitérios mais importantes para o judaísmo ao lado da cidade árabe de Alshaykh.

    Perto de Jerusalém existem alguns lugares que eu acho mega interessante de conhecer, aqui vai alguns:

    • Massada ou מצדה é uma montanha histórica localizada no norte do Negev perto do Mar morto. A história desse marco de Israel se passa no século I quando os romanos invadiram essa vila de judeus que viviam no topo da montanha. Quando os romanos chegaram no topo todos os judeus haviam se suicidado pois falavam que era melhor morrer do que se tornar escravos em mãos dos romanos. Massada é um dos lugares mais quentes de Israel. Mesmo sendo apenas 58 metros de altitude em relação ao nível do mar, na verdade é -450 metros em relação a superfície em que esta (por conta que o Mar Morto é mais baixo em nível de relevo). Sendo assim, Massada só chove 15 dias por ano e suas temperaturas no Verão chegam em média a 35°C. Por conta disso, uma coisa que bastante gente faz é subir de manhã andando (tem a opção de teleférico também) de madrugada e ver o nascer do sol. Existem 2 caminhos para escalar Massada; o longo e o rápido.
    • O Mar Morto  é o local mais baixo do planeta em relação a altitude. Ele fica a -430 metros do nível do mar e tem sua água extremamente salinizada o que faz ser inabitável por nenhum animal marinho e é o que faz você boiar sem ter que fazer o mínimo esforço. Existem vários pontos para entrar no Mar Morto e normalmente são pequenos locais que tem ducha, restaurante e lojas de cosméticos com produtos de beleza do Mar. Eu recomendo o SPA Ein Gedi e a Dead Sea Premier Shop. 

    Hoje em dia é comum escutar que o Mar Morto está morrendo e posso afirmar que isso é uma triste verdade devido as grandes indústrias que estão retirando seus sais minerais. Para isso acontecer definitivamente irá levar mais ou menos uns 50 anos e até lá quem tiver a oportunidade de vir para Israel e boiar no mar, não a perca. O Mar Morto é um dos passeios turísticos e mais procurados de Israel e uma diversão para todos. Mas tome cuidado com os machucados pois como o mar é muito salgado irá arder.

    Mearat Hanetifim: A 40 minutos de Jerusalém tem uma reserva florestal chamada Nahal Sorek que está localizada no meio das montanhas da Judéia. Um movimento lento de chuva que durou milhares anos e ainda está em formação criou uma caverna enorme repleta de estalactites, estalagmites e outras formas interessantes. Não é um passeio essencial para quem vem a Jerusalém mas se sobrar algum dia de sua viagem recomendo ir nesta caverna e conhecer de perto esse incrível fenômeno que a natureza é capaz de fazer.

    Gostaram? Dúvidas? Deixem seus comentários aqui.                                                     Acompanhem mais fotos no instagram do Tripglobe!!!