GLA

GLA (Global Leadership Adventures) é um programa norte-americano baseado no "Voluntourism", a mistura de trabalho voluntário com turismo, mas no caso desse projeto, com o foco em adolescentes. A idade média das pessoas que viajam com o GLA é entre 14-18 anos, ou seja, jovens estudantes que estão cursando o ensino médio. Por ser uma agência específica dos Estados Unidos, a maioria das pessoas que viajam são americanos ou canadenses e a língua falada internamente é o Inglês. Existe a possibilidade de vários destinos e diferentes trabalhos voluntários que dependem do lugar selecionado, por exemplo: cuidar de crianças, construir uma casa, ajudar na área de saúde, jardinagem, ajudar a desenvolver a comunidade local etc. No meu caso, escolhi o Peru e a Costa Rica, onde o trabalho de maneira geral era físico e de jardinagem.

A maioria dos dias em uma viagem do GLA funcionam assim: na parte da manhã o grupo trabalha um pouco no local do trabalho e na parte da tarde faz um pouco de turismo. De vez em quando há algumas atividades de integração com o grupo todo, palestras sobre a situação socioeconômica cultural do país e avisos gerais. A hospedagem e a alimentação é dentro de um ambiente que pertence ao GLA, que pode ser um hotel, cabana, chalé, barraca etc (varia de acordo com o programa selecionado).

Da primeira vez que olhei o site do programa, me interessou muito ir para as Ilhas Fiji, mas por conta de ser muito longe e alguns outros fatores, me restou escolher algum lugar da América. O GLA possuí várias opções de países e diversas opções de programas em um mesmo país. 

Um dos meus objetivos a conquistar com um programa como esses, além de ajudar pessoas necessitadas, era aprender mais sobre culturas e comunidades locais, fazer novas amizades, somente me comunicar em inglês, passar um mês fora de casa com pessoas desconhecidas, tomar responsabilidades, ser maduro, ser altruísta, viver em lugares diferentes por alguns dias etc.. Para atingir esses e outros objetivos com sucesso, escolhi um programa de 14 dias no Peru e outro de 14 dias na Costa Rica (Rancho Quemado), e assim completei um mês viajando sozinho.

Cusco é uma cidade peruana localizada no sudeste do Vale Sagrado dos Incas (Vale de Huatanay) e é bastante conhecida por ser a capital cultural do Peru e estar perto da famosa montanha de Machu Picchu. 

Rancho Quemado é uma pequena comunidade rural localizada na Osa Penínsila, um pedaço de terra que fica na região Sudoeste da Costa Rica. A cidadezinha fica a 8 horas de ônibus de San José e 30 minutos de aviãozinho pequeno. 

Experiências, uma das poucas coisas da vida que nunca vai ser suficiente e que sempre vai servir para alguma coisa no futuro. Nos últimos 28 dias que passei fora de casa viajando sozinho, aprendi a valorizar mais as possibilidades e opurtunidades que a vida me traz e a enxergar o mundo de outra maneira. Esses dias que passei no Peru e Costa Rica só falando Inglês com pessoas que no começo eram desconhecidas, me fez entender que o mundo não é só mais uma rotina atrás da outra e que existe por aí diversos tipos de gente e bem diferentes culturalmente.

Escalar Machu Picchu, tirolesa no meio da floresta, banhos de água fria, trabalhar arduamente debaixo do sol, dormir por 10 dias no meio da mata, nadar com baleias, ajudar uma comunidade de apenas 200 pessoas a se desenvolver, falar com um guia espiritual, conhecer pessoas incríveis, adpatar a situações imprevistas, conhecer novas culturas e diferentes estilos de vida etc... Essas e mais um monte de coisas que aconteçeram nessa viagem são novas experiências, e é isso que faz um ser humano crescer e se desenvolver.

Agora que estou voltando para casa, posso voltar ao luxo que tenho, como um banho de água quente, e compartilhar essas novas experiências com amigos e familiares.

Gostaram? Dúvidas? Deixem seus comentários aqui.                                                     Acompanhem mais fotos no instagram do Tripglobe!!!